10 Dicas para um Professor de Creche

dicas para professor de creche

Se você pretende ser professor de creche porque gosta muito de crianças e do universo infantil, ou, é professor recente dos anos iniciais e pretende desenvolver seu trabalho com crianças menores, esse artigo é pra você.

Veja também: Professor Polivalente

Gostar muito de crianças não é o suficiente para ser professor de creche, por isso, é importante analisar estas 10 dicas para um professor de creche, afim de constatar se é isso mesmo o que você almeja e se está preparado para exercer esta função com qualidade e eficiência.

1- Ser observador é essencial

As crianças da Educação Infantil, especialmente de creches (de 0 a 5), demonstram na prática o que aprendem. Por este motivo, o professor de creche precisa estar totalmente atento a tudo que envolva as crianças dentro da escola, aproveitando para comparar as ações das crianças ao objetivo que se pretendia com suas aulas e analisar se o mesmo foi alcançado.
Ou seja, o professor precisa estar atento às ações das crianças durante:

  • As atividades propostas;
  • No dia-a-dia, nas conversas com os coleguinhas;
  • Durante as brincadeiras, dentro e fora da sala de aula.

2- Seja cuidadoso

O professor de creche precisa ser mais proativo que os demais professores que lecionam para crianças maiores, pois as crianças de creche são extremamente rápidas, e, quando menos esperam, tem uma criança chorando. É necessário ter mais cuidado, zelo, cautela e responsabilidade para atuar nesta área.
Pense bem nas propostas de brincadeiras, nos materiais que serão usados para realizar as atividades, preveja possíveis acidentes, mas esteja preparado para isso, caso eles ocorram.
As crianças estão ávidas para aprender tudo, e, por mais que algo pareça arriscado, elas vão tentar sempre que puderem. Por isso, embora ter o mínimo de infraestrutura adequada para uma creche seja um pré-requisito fundamental, talvez tenha algo fora dos padrões na escola onde você trabalha, onde o espaço seja suscetível a acidentes, então, verifique o espaço com antecedência. Geralmente, creches têm monitores e auxiliares justamente para ajudarem a cuidar das crianças e impedirem que se machuquem, porém, na falta dos auxiliares e mesmo ao lado deles, seja cuidadoso.

3- Aperfeiçoe sua habilidade de contar histórias

As crianças amam histórias, mas para prender a atenção delas, as histórias escolhidas pelo professor não podem ser monótonas e nem compridas. É importante fazer deste momento, um momento de aproximação e de aconchego, usando sempre a criatividade para inovar esse momento para despertar nas crianças a atenção e o interesse pela hora da história.
Dicas importantes para a hora da história:

  • Cuide da entonação, abuse da sonoplastia e faça as vozes das personagens;
  • Conte com suas próprias palavras, evitando ler a história;
  • Use o livro para mostrar as ilustrações, mas diga o nome do autor e do ilustrador, valorizando o trabalho deles. Com o tempo, surgirão os autores preferidos da crianças.
  • Deixe que eles manuseiem os livros, pois assim as crianças aprenderão a cuidar bem deles desde cedo;
  • Utilize bonecos, cenários de teatros e outras ideias lúdicas. Seja criativo!


Dica: Vale a pena ler algumas obras que orientem essa atividade, como o livro de Ana Maria Machado e Ruth Rocha: Contando histórias e formando leitores.

4- Mantenha a rotina

O professor de creche precisa saber que manter o hábito das atividades diárias é importante, pois introduz o entendimento de tempo. Assim, a criança aprende que tem hora pra tudo e dá início a um processo de consciência de que suas vontades precisam se adequar ao tempo de cada coisa:

  • Tem hora para Brincar;
  • Lavar as mãos antes do lanche, depois de mexer com tinta etc;
  • Para lanchar também tem hora;
  • Para ouvir histórias tem o tempo certo;
  • Também tem a hora da soneca;
  • A hora de chegar na creche e a hora de ir para casa.

5- Aproveite bastante o espaço escolar

O contato com o ambiente e a descoberta do próprio corpo é extremamente importante para o desenvolvimento da psicomotricidade. Por isso, é importante deixar que as crianças explorem o espaço escolar (pátios, parquinhos, quadras, jardins, hortas…), com a sua supervisão, obviamente.
Faz parte das metas do PNE (Plano Nacional de Educação) garantir padrões mínimos de infraestrutura para o funcionamento adequado das instituições (creches e pré-escolas) públicas e privadas. Ou seja, todo o espaço da creche deve estar preparado para auxiliar no aprendizado e desenvolvimento das crianças, devendo ser um ambiente seguro e adequado à primeira infância. No entanto sabemos que muitas creches no Brasil não se ajustam a esse pré-requisito, mas mesmo assim, o professor da creche deve tentar promover ao máximo esse momento.

Veja também: O que é Psicomotricidade?

6- Ajudar no desenvolvimento da autonomia

Vestir sua própria roupa, calçar os seus sapatos, fazer sua higiene pessoal, se alimentar, colocar as coisas em seus lugares e tais ações, são necessárias ao desenvolvimento e aprendizagem da criança. Ao abrir espaço para que a criança aprenda estas coisas, o professor está possibilitando a ela a autonomia, afinal de contas, as crianças são protagonistas do próprio aprendizado.



Na creche, durante muito tempo, a tendência foi fazer tudo para criança: amarrar seus cadarços, pentear seus cabelos, dar comida na boca, entre outras coisas. Porém, aos poucos a necessidade que elas tinham de aprender sozinhas foi sendo percebida. As crianças precisam ganhar espaço para aprender desde cedo, mesmo que o processo seja lento e que seja necessário refazer algumas tarefas para elas, para não ocorrerem acidentes.

7- Explore a linguagem plástica

As atividades plásticas são ótimas ocasiões para se promover o desenvolvimento infantil. Os desafios corporais de pular, subir, descer, o reconhecimento do mundo, do próprio corpo e as descoberta dos sentidos, experimentar as texturas das folhas, das cascas das árvores, das pedrinhas no chão, perceber as cores das flores, identificar os sons… tudo isso é fundamental para o desenvolvimento sensório-motor, psicológico e intelectual da criança.


Dica: Deixe-as descalças em colchões plastificados, onde poderão se lambuzar e explorar as atividades com tinturas de corantes naturais, atóxicas. Depois, a sujeira sairá com água, mas a experiência ficará.

8- Leve música para sala de aula

A linguagem musical estimula áreas do cérebro que não são desenvolvidas por outras linguagens, como a oral ou a escrita, conforme ensina a educadora Maria Lucia Cruz Suzigan. Como foi dito anteriormente, na dica 3, é importante trabalhar a sonoplastia ao contar histórias. Aproveite também para formar a bandinha da turma, para desenvolver ainda mais a noção de ritmo, coordenação motora ao manipular os instrumentos e outras questões que música estimula.
Use instrumentos musicais como chocalhos, pandeiros, sininhos, pratos, tambores, piano, viola, flauta, sanfona… todos existem no mercado em forma de brinquedo. E, alguns desses podem ser confeccionados com materiais que encontramos no dia a dia, podendo unir o útil ao agradável, ao unir a turminha para ajudar na confecção destes instrumentos, possibilitando uma aula interdisciplinar com artes plásticas.
Explore também os sons com a boca, com o corpo ou objetos comuns, ao fazer sons que lembram passos, ventos, chuva e animais, por exemplo. Deixe que cantem e que usem a criatividade com os instrumentos. Essa é uma grande chance que o professor de creche tem para avaliar como as crianças agem diante da música, como se comportam em grupo e se o processo de desenvolvimento da criança atende ou supera as expectativas.

9- Aperfeiçoe-se sempre

Não é nenhuma novidade que a profissão de professor precisa de atualizações constantes e, com o professor de creche não é diferente. Ao contrário do que muitas pessoas ainda pensam, a creche não é um espaço meramente recreativo, onde os responsáveis deixam as crianças para irem trabalhar, mas sim um local de aprendizado importantíssimo para o desenvolvimento infantil.
As novas diretrizes curriculares destacam que o papel da educação infantil é articular as experiências e os saberes das crianças dando acesso à cultura, às artes, à educação ambiental, às ciências e à tecnologia. Com isso, o professor de creche e educação infantil ganhou uma importância ainda maior, e, junto com essa importância, ganhou mais responsabilidades, necessitando cada vez mais se qualificar e se atualizar.

 10- Seja criativo

Em vários momentos de sua prática pedagógica, precisará de muita criatividade e, não só para aprimorar suas atividades com os alunos, mas também para lidar com algumas questões como:

  • Falta de materiais;
  • Infraestrutura inadequada;
  • Crianças doentes, com fome ou com outros problemas familiares;
  • Falhas na instituição;
  • Falta de liberdade e autonomia para o professor inovar em suas atividades;

Veja também: Será que Pedagogia é o curso ideal para você?

Dentre outros problemas que você pode encarar, durante seu exercício como professor brasileiro.

Embora não esteja ao seu alcance corrigir estas falhas, está em suas mãos saber o que fazer com estas situações. O maior desafio você aceitou, que é o desafio de ser professor, então, é essencial que você procure realizar seu trabalho com criatividade, consciência, competência e muita paciência.

professor de creche

Espero que estas 10 dicas te auxiliem em sua prática pedagógica, enquanto professor de creche. Como ficou claramente perceptível durante o texto, a função de professor de creche não é nada fácil, e, requer que se abracem os desafios com coragem e determinação, tendo em mente a importância de ser professor de crianças tão pequenas. Seja o melhor que você puder ser! Certamente, as crianças e a Educação terão gratidão eterna a você, por ter sido um professor tão bom e exemplar.

Dicas de Leitura:

Observação, registro e reflexão. Instrumentos Metodológicos I:  Madalena Freire
Contando histórias e formando leitores: Ana Maria Machado e Ruth Rocha.
Programa Currículo em Movimento: Legislação: Reolução CEB nº 5, 2009.
Pedagogia da Autonomia: Paulo Freire.

0 Comentários:

Postar um comentário