O que é Psicomotricidade?

ilustração de crianças brincando felizes

Talvez, você pense que as crianças só brincam na Educação Infantil e que isso não é importante, ou talvez pense que Educação Física não é aula, dentre outros pensamentos que foram reproduzidos ao longo do tempo. Porém, se você pensa esse tipo de coisa, é sinal que você não sabe o que é Psicomotricidade e qual a importância disso para a formação das crianças.

Veja também: O que é Pedagogia, afinal?

O que é Psicomotricidade?

Psicomotricidade é a integração das funções motoras e psíquicas em consequência da maturidade do sistema nervoso. É o relacionar-se através da ação, como um meio de tomada de consciência que une o corpo, a mente, a natureza e a sociedade.

Alguns conceitos importantes sobre Psicomotricidade:

Sidirley de Jesus Barreto (2000): É a integração do indivíduo, utilizando, para isso, o movimento e levando em consideração os aspectos relacionais ou afetivos, cognitivos e motrizes. É a educação pelo movimento consciente, visando melhorar a eficiência e diminuir o gasto energético.

Vitor da Fonseca (1988): A Psicomotricidade é atualmente concebida como a integração superior da motricidade, produto de uma relação inteligível entre a criança e o meio. É um instrumento privilegiado através do qual a consciência se forma e se materializa.

Pierre Weil (1986): A educação psicomotora é uma ação pedagógica e psicológica que utiliza os meios da educação física com o fim de melhorar o comportamento da criança.

Jean Claude Coste (1978): É a ciência encruzilhada, onde se cruzam e se encontram múltiplos pontos de vista biológicos, psicológicos, psicanalíticos, sociológicos e linguísticos.

Jean de Ajuriaguerra (1970): Psicomotricidade é a ciência do pensamento através do corpo preciso, econômico e harmonioso.

A Psicomotricidade está associada à afetividade e à personalidade. O indivíduo utiliza seu corpo para demonstrar o que sente, e uma pessoa com problemas motores passa a apresentar problemas de expressão.

Veja também:

estimular a psicomotricidade com tintas

A Psicomotricidade e a Afetividade

Associada à psicomotricidade, está a afetividade. A criança utiliza seu corpo para demonstrar o que sente. Desde o nascimento, a criança passa por diferentes fases nas quais adquire conhecimentos e passa por diversas experiências, até então chegar à sua vida adulta. As primeiras reações afetivas da criança envolvem a satisfação de suas necessidades e o equilíbrio fisiológico.

Segundo Lapierre e Aucouturier (1984),
“Durante o seu desenvolvimento, aparecem os fantasmas corporais que limitam suas expressões devido à falta de contato corporal dos pais com os filhos. A afetividade é indispensável para o desenvolvimento da criança e o equilíbrio psicossomático”.
Como o contato corporal tende a diminuir com o passar do tempo, cria-se um grande problema para o desenvolvimento da criança. É recomendado aos pais que mantenham o contato corporal, através do toque, do abraço, do beijo, do carinho etc, durante toda a vida da criança. Isso certamente levará a uma evolução psicomotora e cognitiva. É necessário que toda criança passe por todas as etapas em seu desenvolvimento.

Henri Wallon (1971), afirma que o movimento humano surge das emoções, e que a criança é pura emoção durante uma longa fase de sua vida.

A afetividade compreende o estado de ânimo ou humor, os sentimento, as emoções, as paixões, e, reflete sempre a capacidade de experimentar sentimentos e emoções.

É a afetividade quem determina:

A atitude geral da pessoa diante de qualquer experiência vivencial, percebe os fatos de maneira agradável ou sofrível, confere uma disposição indiferente ou entusiasmada e determina sentimentos que oscilam entre dois polos: a depressão e a euforia.

O modo de relação do indivíduo com a vida se dá através da tonalidade de ânimo em que a pessoa perceberá o mundo e a realidade. Direta u indiretamente, a afetividade exerce profunda influência sobre o pensamento e sobre a conduta do indivíduo.

A importância da Ed. Física:

Sobre a importância da Educação Física para alunos de pré-escola até o 5º ano do ensino fundamental, é válido justificar que: Nos casos em que as perturbações do relacionamento fundamental entre o eu e o mundo são evidentes, a reeducação psicomotora às vezes permite obter resultados espetaculares. Durante o período de estruturação do esquema corporal, o que é bem-sucedido com as crianças que possuem necessidades especiais é também com as crianças que não possuem necessidades especiais.

Muitos fracassos em matemática, por exemplo, são produzidos pela má organização espacial ou temporal. Para efetuar cálculos, a criança necessita ter pontos de referência, colocar números corretamente, possuir noção de coluna e fileira, combinar formas para fazer construções geométricas.

Segundo Staes e De Meur (1984):
O intelecto se constrói a partir da atividade física. As funções motoras (movimento) não podem ser separadas do desenvolvimento intelectual (memória, atenção, raciocínio) nem da afetividade (emoções e sentimentos).

Para que o ato de ler e escrever se processe adequadamente, é indispensável o domínio de habilidades a ele relacionado, considerando que essas habilidades são fundamentais manifestações psicomotoras.

Na escola:
Relacionar-se com o outro na escola, através do ensino, é fundamental. Esse relacionamento deve ser bem proporcionado para que haja uma relação entre professor-aluno, aluno-professor. Nesse aspecto, as atividades psicomotoras propiciam para a criança uma vivência com espontaneidade das experiências corporais, criando uma simbiose afetiva entre professor-aluno, aluno-aluno e aluno-professor. afastando os tabus e preconceitos que influenciam negativamente as relações interpessoais.

Em casa:A afetividade entre a criança e a família tem um grau de importância insubstituível. É indispensável o contato físico, o carinho, o abraço, o beijo etc, entre pais e filhos para o desenvolvimento psicomotor e afetivo da criança, como já foi possível concluir durante o desenvolvimento deste texto.

família estimulando o aprendizado e psicomotricidade com jogos

É interessante que sejam elaborados jogos com as crianças, nos momentos em família, que desenvolvam os aspectos psicomotores, pois além de brincadeiras enriquecerem o relacionamento entre pais e filhos, também será através destas atividades que a criança irá explorar o ambiente, passará por experiências concretas, indispensáveis ao seu desenvolvimento intelectual e será capaz de tomar consciência de si mesma e do mundo que a cerca.

Como conclusão, pode-se afirmar então, que a educação física, através de atividades afetivas, psicomotoras e sociopsicomotoras, constituem-se num fator de equilíbrio na vida das pessoas, expresso na interação entre o corpo, a afetividade e a energia, o indivíduo e o grupo, promovendo a totalidade do ser humano.

0 Comentários:

Postar um comentário