O que é Síndrome de Tourette?


Tourette é uma síndrome que provoca tiques motores e vocais, porém, não necessariamente ao mesmo tempo. Os tiques geralmente aparecem na infância ou início da adolescência e, geralmente apresentam-se inicialmente na forma de tiques motores simples, como piscadelas dos olhos. As vocalizações geralmente se apresentam depois dos tiques motores, no início da adolescência, frequentemente se apresentam na forma de pigarro, tosse, fungadelas, exclamações silábicas, entre outras. Em alguns casos os tiques vocais são os primeiros sintomas a surgirem.

Veja também: 5 Filmes sobre Síndrome de Tourette

Algumas variantes de tiques são:

Coprolalia: emissão involuntária de palavras obscenas (ou palavrões), porém, esta é encontrada em menos de um terço dos casos.
Copropraxia: Trata-se de gestos obscenos involuntários e é encontrada entre 1 e 21% dos casos.
Ecolalia: É o tique referente à repetição de palavras ouvidas.
Ecopraxia: Repetição de gestos visualizados.
Palilalia: Refere-se à repetição das próprias palavras, porém são encontradas em menos da metade dos casos.

A intensidade dos tiques é variável, podendo ser desde quase imperceptíveis a ostensivos. Às vezes, os tiques são “camuflados” em atitudes corriqueiras como por exemplo, ajeitar a roupa, afastar o cabelo do rosto… porém, são reconhecidos pelo seu caráter repetitivo.

Uma série de comportamentos se associam à Síndrome de Tourette, em alguns casos, como o comportamento hiperativo, automutilatório, distúrbios de conduta e de aprendizado, além dos sintomas obsessivo compulsivos (SOC). Estima-se que, mais de 40% dos pacientes com a ST (Síndrome de Tourette) apresentavam TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) e que aproximadamente 90% tem Sintomas Obsessivos.

Qual é a causa a Síndrome de Tourette?

Sabe-se que existe a influência de fatores genéticos, neurobiológicos e outras, mas a causa real da ST ainda permanece desconhecida. Alguns autores sugerem a possibilidade de que tiques, alguns transtornos do movimento, sintomas obsessivo-compulsivos e hiperatividade, possam estar relacionados à presença de anticorpos antineurais (contra o cérebro) decorrentes de infecções estreptocócicas, mas ainda não há comprovação de que realmente seja isso.

Às vezes, os tiques são precedidos por uma sensação desconfortável, chamada de “sensação premonitória” e frequentemente seguidos por uma sensação de alívio. Porém, às vezes os tiques se tornam “obrigatórios”, como um tipo de ritual, o que os torna, por vezes, difíceis de diferenciar das compulsões ou TOC.

Geralmente, os tiques desaparecem ou diminuem durante o sono e também durante atividades que exijam muita concentração. Por outro lado, os tiques apresentam piora diante do estresse, ansiedade, fadiga, e excitação.

Embora seja possível suprimir os tiques pela vontade da pessoa com ST, não a pressione, pois para que este comportamento seja suprimido, o paciente passa por uma grande tensão emocional. É sempre importante o exercício de se imaginar no lugar da outra pessoa e não fazer com o outro o que não gostaríamos que fizessem conosco.


Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é apenas clínico, sendo baseado nos seguintes critérios:
  • Presença de tiques motores múltiplos e um ou mais tiques vocais, não necessariamente simultâneos;
  • Ocorrência de tiques diversas vezes ao dia, quase que diariamente, ou intermitentemente, por mais de um ano;
  • Com o passar do tempo, a localização anatômica varia, assim como os tipos, a frequência, a gravidade e a complexidade dos tiques;
  • Os sintomas aparecem na infância ou adolescência (antes dos 18 anos de idade);
  • Inexistência de outras condições médicas que esclareçam os movimentos involuntários e/ou as vocalizações;
  • Testemunho ou registro de tiques motores e/ou vocais.

Veja também: 21 Filmes sobre Autismo que você precisa assistir

A Síndrome de Tourette tem cura?

A Síndrome de Tourette não tem cura, mas tem tratamento e em uma grande parcela dos casos (aproximadamente 1/3), os pacientes apresentam remissão completa ao final da adolescência, outra parte apresenta melhora dos tiques após entrar na idade adulta e o restante continua sintomático durante a vida adulta, porém, com o tratamento específico a tendência é diminuir a intensidade dos tiques. Segundo a ASTOC (Associação Brasileira de Síndrome de Tourette, Tiques e Transtorno Obsessivo Compulsivo), remissões espontâneas foram relatadas em 3 a 5% dos casos.

Qual é o tratamento para os Tiques e a Síndrome de Tourette?

O tratamento da ST consiste nas seguintes abordagens:

  • Tratamento psicológico e social – É importante haver acompanhamento de um psicólogo ou psicopedagogo nesta etapa do tratamento. Antes de iniciar o tratamento, deve-se fazer uma avaliação dos tiques a respeito da frequência, intensidade, localização, e complexidade, para se ter uma ideia mais ampla das interferências na vida diária. Também é necessário investigar a interferência do ambiente escolar, familiar e outros lugares onde haja relacionamentos interpessoais, analisando os ambientes e situações que causam mais estresse, dentre outras observações. Esta abordagem também inclui orientação aos responsáveis, familiares e educadores, fornecendo informações a respeito da síndrome, suas características e o modo de lidar com a criança ou adolescente. Deve-se cuidar para que ocorra o mínimo de estigmatização. Evitar atitudes superprotetoras que favoreçam a manipulação da doença por parte da criança.
  • Tratamento farmacológico – O medicamento é muito útil no alívio dos sintomas, já que até o presente momento, não há tratamento curativo para a ST. Porém, nem sempre há necessidade do uso de remédios, e, mesmo quando o neurologista ou o psiquiatra recomenda o uso, as doses devem ser as menores possíveis.

Caso você reconheça estes sintomas, deverá conversar com um psiquiatra ou neurologista.

8 comentários:

  1. Muito bom esse post, pois pude saber mais dessa síndrome e suas características. Agora posso observar e pelo menos ter uma noção se alguém a possui.

    ResponderExcluir
  2. Ei!
    Q legal! Um tempo atrás vi um filme sobre Tourret e tinha achado muito engraçado, ams confesso que não tinha entendido muito.
    Poxa, q legal q li este post! Agora o filme tá fazendo muito mais sentido. Vou até rever... O problema é q esqueci o nome dele :(
    Adorei o post, muito claro!

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    Primeiramente, parabéns pelo post tão completo e informativo. Confesso que não conhecia muito sobre essa síndrome, então seu post se tornou muito explicativo, com informações bem valiosas. Agora já tenho um conhecimento maior e saberei tirar dívidas de pessoas sobre a mesma. Arrasou!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Bem informativo esse post. Sempre achei que essa síndrome fosse apenas com os surtos de palavrões ou palavras obscenas. Não sabia que tinha sintomas "mais brandos".

    ResponderExcluir
  5. Gosto muito de posts informativos e quando se trata de crianças, é importante ter essa informação para que os pais tenham mais paciência se notarem que a criança porta algum sintoma. Muito relevante esse post, adorei!

    ResponderExcluir
  6. Olá. Eu fiquei sabendo dessa síndrome em um filme, mas nunca fui atrás para saber realmente do que se tratava.
    Seu post foi muito didático e bem interessante, acho que muita gente deve ler. Gostei de como você explicou, mais conhecimentos é sempre bom, obrigado
    By: Caio de Um toque de referência

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?

    Adorei a publicação, super informativa e trata sobre um tema importante que é a "Síndrome de Tourette". Vai ajudar muitas pessoas para identificar se o próximo tem ou não essa síndrome.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Eu já tinha ouvido falar antes, mas não sabia de nada sobre, é muito bom abordar esses assuntos em blog, porquê não é todo mundo que pesquisa sobre. Teu conteúdo é sempre muito bom. Beijo

    ResponderExcluir